Começou no dia 3, com restaurantes, lojas e bares, e prossegue até o dia 20 (Julho), quando os meios de hospedagem voltam a poder atender (o que ainda poderá ser antecipado para o dia 17), a reabertura do turismo em São Pedro da Serra. O cronograma de abertura e as regras e protocolos seguem o que determina o governo do município de Nova Friburgo, do qual a vila, assim como a vizinha Lumiar, faz parte. Será a primeira vez, desde meados de março, que o turismo volta a fazer parte da rotina da região. E dependerá muito do comportamento dos visitantes e do rigor dos empreendedores se a flexibilização continuará ou será obrigada a retroceder.
COMO FUNCIONA O SISTEMA DE ‘BANDEIRAS’
Desde a permissão de funcionar até a taxa de ocupação máxima dos meios de hospedagem (pousadas, airbnb e casinhas de aluguel), assim como o horário e a capacidade dos restaurantes, bares e lojas, tudo irá depender sempre da “bandeira” da semana. Verde, funcionamento pleno; Amarela, parcial; Laranja, restrito e Vermelha, fechamento total. E essa bandeira será anunciada pela prefeitura na sexta-feira da semana anterior, com base na taxa média de ocupação dos leitos de UTI da cidade. Por exemplo: a bandeira anunciada na sexta, dia 10 de julho, vai valer desde a segunda, dia 13 até o domingo seguinte, dia 19. Portanto, antes de viajar para a região, procure saber sob qual bandeira o município está.
E o mais importante: respeite as regras de distanciamento, o uso de máscaras e as normas de higiene. O que vale na cidade grande, tem valor ainda maior aqui, na roça.
TUDO DEPENDERÁ DE VOCÊ
Há uma tendência antiga de quem viaja, ou até se muda por um tempo para o campo, de achar que nada do que é exigido numa cidade grande vale numa área rural. De que tudo é possível. Que vale tudo. Uma sensação de liberdade das amarras urbanas que é um dos prazeres de fazer esse tipo de passeio. Parte disso é real. Parte é pura imaginação. Andar no meio da rua, por exemplo. O trânsito é bem menor, as calçadas estreitas, mas isso não significa que não existam caminhões, carros e motos circulando.
O mesmo vale para as prevenções necessárias para evitar a disseminação da covid-19.
O fato de as aglomerações não fazerem parte da rotina da área rural, não significa que você, ao visitar São Pedro da Serra, ou Lumiar, não deva manter o mesmo nível de cuidado que tem na cidade grande.
Pelo contrário, você deve aumentar e muito o nível de precaução.
UM MUNDINHO QUASE FECHADO
Uma vila rural é um mundinho parcialmente fechado. Quase uma tribo. Estamos a 40 quilômetros do centro de nosso município. Tão afastados, que há turismo interno. Gente de Friburgo vem passar fim de semana aqui. E nós, moradores, nos acostumamos, por isso, a nos relacionarmos tanto e de forma tão próxima, que somos quase uma mesma família. Daí o relaxamento que você verá em pessoas da terra, que poderão eventualmente serem flagrados sem máscaras diante de uma vendinha, um mercadinho, uma loja de material de construção, por exemplo.
Mas entenda: Nós estamos sempre aqui. Todos os dias. Somos praticamente os mesmos a nos “aglomerar” nesses poucos pontos. Parentes, se você preferir. E a imensa maioria de nós será muito receptiva a você.
E isso irá te parecer o máximo. Você, que muitas vezes não conhece nem o vizinho de porta do andar onde mora, vai se sentir parte de algo. E vai tender a relaxar, a querer se integrar. Seja bem vindo, sinta-se em casa. Mas nunca, nunca, nunca esqueça que você vem de ambientes com concentrações humanas milhares de vezes maior do que as encontradas aqui.
Portanto, embora a chance de você ser contaminado aqui seja mínima, é imensa a chance de você nos contaminar.
Então, curta a liberdade, curta o verde, curta o ar puro. Mas evite se aglomerar. Nunca retire a máscara perto de pessoas da vila. Por mais que se sinta acolhido, nunca toque ninguém.
Mantenha a higiene das mãos.
Sua liberdade aqui na roça será imensa. Os riscos, serão mínimos. Pra você.
Então, retribua cuidando de nós neste momento estranho do planeta.
Publicado em Categoria Notícias